fbpx
ColunasEdilson Rodrigues

Coluna do Edilson – 24/06/23 – Sem poder comemorar!

Oba!… Chegou mais um aniversário de Caratinga e, com isso, é hora de curtir a grande festa que a Prefeitura preparou, com shows de grandes artistas!

Como é?… o atual governo não preparou uma festa com grandes shows musicais para a festa deste ano?… Bem!… Então o jeito e curtir o “Buteco é Coisa Nossa”!

O quê?… Também não vai ter a festa dos botecos? … Nem qualquer outra festa popular?

Pois, é!… Infelizmente, Caratinga chega aos 175 anos sem ter o que comemorar. Muito longe de estar vivenciando uma fase de progresso e desenvolvimento, o município se assemelha ao idoso que, com o acumular da idade, experimenta a perda de vigore da beleza, a falta de ânimo e da disposição de outrora, limitando-se a lembrar de seus feitos de um distante passado, os quais permitiam vislumbrar um brilhante futuro que Não se concretizou e, diante do atual cenário, é praticamente impossível vir a se realizar.

O triste retrato da Caratinga de hoje é resultante da falta de atitudes positivas de políticos incompetentes, de visão pequena e de intenções egoístas, sempre preocupados em agir – em muitos casos de forma desonesta -, para alcançar seus objetivos pessoais, nunca se mostrando determinados a buscar a implantação de projetos visando colocar o município nos trilhos do progresso e do desenvolvimento socioeconômico.

O completo descaso com os principais interesses e anseios de Caratinga e de sua população aconteceu e continua acontecendo tanto por parte de prefeitos e vereadores que, por incompetência, despreparo ou mesmo má intenção, exerceram e exercem o poder para si e para os seus, quanto por parte dos deputados aqui votados, com raríssimas exceções, que sempre trataram Caratinga como uma cidadezinha qualquer, para a qual voltavam as atenções somente nos períodos eleitorais, vindo aqui buscar os votos do povo, entretendo-os com insignificantes migalhas.

Para infortúnio de Caratinga, prefeitos e vereadores sempre se deleitaram com a ignorância política da esmagadora maioria da população, para alcançarem o poder e nele se manterem.

Para não faltar com a sinceridade, muitos ou mesmo a maioria dos vereadores de Caratinga não sabe que a boa política é a união de esforços visando alcançar benefício para todos ou, nesta impossibilidade, o da maioria e jamais o benefício próprio, de parentes ou de amigos.

Muitos vereadores sequer sabem quais são as atribuições do cargo pelo qual são muito bem pagos e nem mesmo fizeram uma leitura completa da Lei Orgânica do Município e do Regimento da Câmara. Pensam eles que a função do vereador é apoiar e aprovar projetos vindos do prefeito em troca de vantagens para si ou seu reduto eleitoral, se esquecendo do restante do município.

E essa antiga mania das nossas chamadas “lideranças políticas” em fazer politicagem e não praticar a boa política causou irreparáveis danos ao município, fazendo Caratinga, cada vez mais, perder prestígio e força junto à esfera estadual e federal, se mantendo desassociada de perspectivas de um futuro promissor.

Por tudo isso, Caratinga me parece um paciente em fase terminal, sem possibilidades de cura pelo fato de que os “médicos” lhe negaram o “tratamento” e os “medicamentos” que a manteriam forte, saudável e com as possibilidades de sanar suas carências e alcançar um desenvolvimento cada vez melhor.

Lamento muito!… Eu amo Caratinga, mas, neste momento eu não lhe posso dar os parabéns!

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo