fbpx
ColunasEdilson Rodrigues

Coluna do Edilson – 11/06 – Escolhas

A nossa vida é feita de escolhas!… Isso acontece desde o dia em que nascemos, sendo realizadas a todo instante em cada um dos dias em que vivemos. Invariavelmente, a nossa satisfação e o sucesso em nossas decisões sempre serão resultados das melhores escolhas.

Ainda bebês, escolhemos o jeito de dormir, o que gostamos de comer, de manusear, onde e com quem ficar e para quem sorrir.

A partir da infância passamos a escolher nossos brinquedos e brincadeiras, os amigos, os hábitos e os costumes, nossas roupas preferidas e as coisas que gostamos ou não gostamos de fazer.

Quando adultos, exercemos com apurado critério a escolha de nossa profissão, nossa capacitação, nossos pedidos na lanchonete, na pizzaria, na sorveteria, no bar no restaurante e no estilo de nossa aparência e de nossas roupas.

Nestes dois últimos quesitos, verdade seja dita, as mulheres são especialistas. Elas se esmeram em escolher o corte e a cor dos cabelos e dos esmaltes, o estilo e as cores das roupas que usam, os modelos das sandálias e dos sapatos, a decoração da casa, território onde mandam e desmandam, e, até mesmo, as roupas do marido. Elas podem!… Afinal, elas são rainhas!

As pessoas se empenham em fazer a melhor escolha na área sentimental, procurando a pessoa ideal com quem se casar e mesmo isso sendo feito com a maior dedicação muitas vezes o casamento acaba.

O livre-arbítrio torna-se melhor quando exercido em sua plenitude, realizado sem pressões, imposições ou cobranças, tomado de forma isenta.

O cidadão poderia, ou melhor, precisaria agir assim na hora de exercer o seu direito de voto, no momento de decidir quais serão as suas escolhas na hora de definir quais candidatos estará escolhendo, optando sempre em fazer as melhores escolhas.

A genuína “melhor escolha” não se baseia em troca de favores, em promessas de emprego e benefícios pessoais ou muito menos pela compra do voto, aliás, característica principal da “pior escolha”, por ela estabelecer o conchavo entre dois corruptos.

As bases para se exercer a “melhor escolha” em uma eleição não podem estar alicerçadas nem mesmo no fato do candidato ser da mesma profissão, da mesma cidade ou, até, do mesmo credo religioso. Afinal de contas, os canalhas são encontrados em todas as classes sociais, profissões e religiões. Eles podem estar à frente de empresa, em altos cargos públicos, nos altos postos do Poder Judiciário, assim como nos púlpitos das igrejas. Poderia, mas não vou citar exemplos.

Assim sendo, se você é uma pessoa que sonha e deseja um Brasil e um Estado melhor para si, para os seus e as gerações futuras, nas eleições deste ano, para que as suas escolhas sejam as melhores possíveis, procure conhecer melhor cada um de seus candidatos, tendo como princípios a honestidade, a capacidade e as reais promessas, excluindo da avaliação promessas que não passam de promessas.

Não cometa o erro de pautar suas escolhas no partidarismo ou na devoção ao candidato. Devoção se deve a Deus e o partido com o qual você simpatiza possa lhe apresentar candidatos despreparados, desonestos, suspeitos ou denunciados por envolvimento em esquemas de corrupção.

No dia 02 de outubro, quando você estiver sozinho diante da urna eletrônica para participar da eleição do próximo Presidente da República, do próximo Governador, do novo senador do nosso Estado e dos integrantes da Câmara dos Deputados e da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, pense grande, pense no amanhã, pense no futuro desta nação e exerça as suas melhores escolhas!

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo