fbpx
Caratinga

Trânsito de Caratinga: Um problema sem solução

Um dos principais problemas da sede do município de Caratinga, o caótico trânsito da cidade, sempre entre os mais citados em pesquisas, enquetes e levantamentos junto à população, a cada ano se torna mais intenso e sem uma solução. Se não bastassem os veículos locais, a cidade, polo da região, ainda recebe diariamente centenas de veículos vindos das cidades de seu entorno, piorando o que já é péssimo.

Veículos
De acordo com os dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), referente ao ano de 2022, Caratinga conta com uma frota de 48.478 veículos, composta por carros, caminhões, ônibus, utilitários, motocicletas, entre outros. De acordo com fontes ligadas ao setor, a cada ano acontece o emplacamento no município de uma média de 2.000 novos veículos.

Para agravar ainda mais a situação do trânsito, a cidade recebe aproximadamente 42 mil veículos das cidades que integram a microrregião de Caratinga e de outros municípios. De acordo com levantamentos realizados por autoridades do setor, uma média superior a 10 mil veículos circula diariamente pelas ruas de Caratinga.

Estrutura deficiente
Com ruas apertadas, construídas sem qualquer planejamento e em situação que impede a realização de obras de engenharia que aumentem a capacidade de fluxo de veículos, a cidade de Caratinga é obrigada a conviver com constantes engarrafamentos no trânsito, causando o estresse de motoristas, motociclistas e pedestres, diante das enormes dificuldades de circulação pelas principais ruas e avenidas, como ocorre diariamente na Rua Raul Soares, Avenida Benedito Valadares, Rua Olegário Maciel, Avenida Moacyr de Mattos, Avenida Catarina Cimini e Praça Cesário Alvim.

O excesso de circulação de veículos ocorre principalmente nos chamados “horários de pico”, que acontecem nos períodos de 11 às 13 horas e de 16 às 19 horas. Nesses períodos, o fluxo de veículos é lento, com constantes interrupções, exigindo o máximo de paciência e atenção dos motoristas, motociclistas, ciclistas e, também, dos pedestres.

Fiscalização e sinalização
Embora a Prefeitura de Caratinga tenha firmado um convênio com a Polícia Militar, torna-se nítida a falta de uma fiscalização de trânsito eficiente e capaz de coordenar e orientar a circulação dos veículos nos horários de pico, deixando a cargo dos condutores de veículos a “negociação” nos cruzamentos onde não existem semáforos.

Apesar do empenho do Departamento de Trânsito da Prefeitura de Caratinga, que conta apenas com quatro funcionários, a sinalização ainda é insuficiente e, em muitos casos, é desrespeitada em locais onde ela existe. Diante desse quadro, torna-se injusto cobrar mais eficiência ao Caratrans.

Desobediência e imprudência

Além da precariedade e deficiência estrutural das ruas de Caratinga, o trânsito ainda é prejudicado pelas imprudências e desobediências às regras e sinalizações cometidas diariamente por motoristas, motociclistas e pelos pedestres, sendo necessária uma ampla campanha, voltada à esses três entes, visando minorar os problemas e evitar a ocorrência de acidentes.

Apesar da sinalização, motoristas continuam circulando na contramão

Já se tornou corriqueiro assistir motoqueiros, principalmente os que fazem serviços de delivery, andando com excesso de velocidade, fazer manobras e contornos irregulares, cruzar praças e calçadas, criando o risco de acidentes e atropelamentos.

Porém, não são apenas os condutores de motos que cometem imprudências. Grande número de motoristas também tem desobedecido as sinalizações verticais e horizontais em diversos pontos da cidade, como acontece nos cruzamentos das ruas Alberto Vieira Campos e Marechal Deodoro. Nesse local, a sinalização proíbe que os veículos sigam direto para a Praça da Estação, porém, a esmagadora maioria dos motoristas não obedecem a regra. Já na Travessa Antônio Fernandes, a sinalização proíbe o acesso à Praça da Estação pela ponte ali existente, no entanto, grande parte dos motoristas insiste em ignorar tal regulamentação.

Aplicativos
Outra situação que prejudica o trânsito são os motoristas de aplicativos que, há alguns anos, tomaram as ruas de Caratinga, exigindo que seja feita a regulamentação do funcionamento desse tipo de transporte de passageiros.
Ao contrário dos taxistas, que possuem ponto determinado pela administração municipal para permanecerem estacionados, os veículos que prestam serviço por aplicativos devem permanecer em constante circulação. Porém, os motoristas que atuam nessa modalidade de serviço mantem seus veículos estacionados nas imediações dos supermercados, impossibilitando o estacionamento aos clientes dos estabelecimentos e, ainda, tumultuando o tráfego.


Sem solução
O excessivo e crescente número de veículos, a impossibilidade de obras de engenharia para melhorar o potencial de fluxo de circulação de veículos pelas ruas e avenidas, infelizmente, torna impossível a adoção de medidas suficientes a promover uma solução para os problemas do trânsito de Caratinga.

Resta, apenas, à administração municipal a promoção de campanhas periódicas de orientação e conscientização, abrangendo motoristas, motociclistas e pedestres, com o objetivo de minimizar o caos e acabar com o acometimento das irregularidades atualmente cometidas na cidade.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo