fbpx
CaratingaEducação

Rede de Ensino Doctum faz 88 anos

Na sexta-feira, 05, a Rede de Ensino Doctum comemorou 88 anos de uma jornada iniciada em 1936, com a missão de transformar a vida das pessoas pela educação. Ao longo destas quase nove décadas, milhares de pessoas tiveram suas vidas transformadas pela instituição e estão espalhadas por todos os cantos do País, sendo a prova de que a educação é peça-chave para o desenvolvimento de uma sociedade mais humana e igualitária.

O início
Tudo começou em 1936, quando foi fundado o “Ginásio Caratinga”, então, o único no Leste de Minas.
O professor Cláudio Leitão, presidente da Doctum, fala sobre a assembleia comunitária realizada naquele ano para a fundação do ginásio, que contou com a presença do reverendo Uriel de Almeida Leitão, seu pai, recém-chegado a Caratinga, que discursou no evento. “Quem abre a assembleia é o bispo Dom Lara e quem faz a ata é o Etienne Arreguy. E, nesse dia, um jovem, que tinha chegado à cidade há um ano, vindo de Pernambuco, foi o último a falar nessa assembleia em que havia a possiblidade de Caratinga ter um ginásio e avançar com a formação dos seus filhos. A nossa missão permanece até hoje intocável. Que é a missão de transformar a vida das pessoas da nossa comunidade, criando oportunidades para que elas possam construir a sua vida”.

A primeira turma ginasial se formou no ano de 1941. O curso, que tinha cinco anos de duração, naquele ano passou a durar quatro anos. Em 19 de agosto de 1943, o reverendo Uriel, assumiu o ginásio como diretor geral. A partir de então, o reverendo Uriel se consolidou como um grande educador e, ao mesmo tempo, a cidade ganhava um projeto ousado, que mais tarde seria reconhecido como um dos responsáveis pelo desenvolvimento de toda a região. Em 1948, ele iniciou a construção do primeiro prédio próprio da instituição.

Ciências Contábeis: primeiro curso de graduação em Caratinga

Em 25 de novembro de 1958, o Ginásio Caratinga passou a se chamar “Sociedade Colégio Caratinga”, mantendo dois internatos – masculino e feminino – chegando a abrigar 200 alunos de várias regiões para os cursos ginasial e científico. Posteriormente, passou a oferecer cursos de formação de professor primário e técnico de contabilidade. Nos anos 60, o Colégio Caratinga já contava com mais de 2 mil alunos.

Inauguração do novo prédio da Faculdade em 1982

Em novembro de 1968, com a nova lei, que regulava o ensino superior no Brasil, conhecida como a “Reforma Universitária”, a partir do início de 1970, com o aumento da demanda por cursos de graduação, o ensino superior particular ganhou força.

A partir de 1971, com a reformulação dos ensinos de 1º e 2º graus, tornando o último obrigatório e profissionalizante, com o aumento de concluintes do 2º grau, já com 4 blocos de edifícios apropriados para escola, a Rede de Ensino Doctum partiu para a formação superior, com a criação de sua primeira Instituição de Ensino Superior (IES).

Projetos e Parcerias
Desde então, a Rede Doctum firmou parcerias e desenvolveu importantes projetos, dos quais três se destacam, como é o caso do Convênio com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), assinado em 1985, em solenidade da qual participaram o reitor da universidade, diretores das Faculdades de Filosofia e Ciências Humanas e de Ciências Econômicas da UFMG, de autoridades municipais, quando a Sociedade Presbiteriana de Educação e Pesquisa (SPEP) assinou um convênio de cooperação mútua nos campos técnico, científico e pedagógico.

Na ocasião, ocorreram os lançamentos do curso de pós-graduação em Administração de Empresas e Organizações; exposição do projeto “Agora Sim” da Faculdade de Medicina da UFMG, do projeto “Nossa História”, pelo Departamento de História da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG, bem como a exposição pela Faculdade de Arquitetura da UFMG do projeto de “Estudo dos Problemas Urbanísticos de Caratinga”; a assinatura do intercâmbio entre a Faculdade de Ciências Contábeis de Caratinga e Departamento de Ciências Contábeis da FACE-UFMG; e criação do Instituto de Estudo e Pesquisas Aplicadas ao Desenvolvimento Regional (Iepader).

Ainda nesse ano, a Doctum preparou o processo requerendo ao Conselho Federal de Educação (CFE), os cursos de Serviço Social e Administração de Empresas.

Em 1995, foi criado o Núcleo de Pesquisa e Extensão (Nupe), voltado a incentivar, implantar e fomentar a pesquisa dentro da instituição e da comunidade, que em dezembro daquele ano teve os seguintes projetos aprovados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG): “Custo da Cesta Básica em Caratinga”, “Evolução do Produto Interno Bruto de Caratinga” e “Memória de Velhos Trabalhadores”. Naquela época, Caratinga era a única cidade do interior a contar com este importante trabalho.

Nessas quase nove décadas, a Doctum desenvolveu inúmeros projetos e ações de extensão, por meio dos cursos de graduação, fortalecendo assim sua relação com as comunidades nas quais está inserida. Um dos destaques foi a pesquisa “Crianças e Adolescentes em Situação de Risco de Caratinga”, realizada em 1996 sob a coordenação da professora Vânia Oliveira, do curso de Serviço Social.

Inclusão Digital
Em maio de 2002, foi inaugurado o Laboratório de Inclusão Digital (LID), o primeiro laboratório de informática de Minas, por um convênio firmado entre a Secretaria de Ciência e Tecnologia de Minas Gerais e a Prefeitura Municipal de Caratinga, com a participação das Faculdades Integradas de Caratinga (FIC).

O LID tinha como objetivo o ensino básico de informática, visando desenvolver um modelo para o processo de inclusão digital e universalização do acesso às tecnologias de informação e comunicação, além da adoção de software livre nas instituições de ensino. O laboratório de informática permitia o uso educacional e comunitário, e atendia instituições públicas de ensino municipais e estaduais.

Filantropia
Fiel ao compromisso social, desde a década de 70, quando foi criado o curso de Ciências Contábeis, a Doctum sempre se preocupou em criar, desenvolver e apoiar programas voltados para a comunidade. Neste sentido, visando facilitar o acesso ao ensino superior, a oferta de bolsas de estudo é um dos pilares da instituição, destaca Cláudio Leitão. “Esse compromisso social permanece até hoje. No nosso último balanço social, mais de R$ 20 milhões em bolsas de estudo foram dadas em um ano apenas. Nós continuamos com a missão que nasceu em 1936. Eu tenho prazer e orgulho de, em metade destes 88 anos, estar trabalhando e dirigindo esse projeto educacional. O Ginásio de Caratinga é o começo de tudo.

Depois, veio o colégio Caratinga, a Faculdade de Ciências Contábeis, Faculdade de Serviço Social, e, posteriormente, vieram vários cursos, as Faculdades Integradas de Caratinga (FIC) e toda a sua história junto com a história do ensino técnico e do ensino da educação básica”.

Para o presidente executivo da instituição, Pedro Leitão, promover o acesso à formação acadêmica a quem não tem condições financeiras é uma marca muito importante porque poucas organizações completam esse tempo de existência.

“Ao longo desses 88 anos, a instituição teve várias mudanças. Muitas pessoas passaram por ela, muitas transformações aconteceram, mas tem algo que se manteve desde o início e é a missão da instituição. Que é o fato de a instituição ter nascido e hoje se mantém com o propósito de dar oportunidade para as pessoas, ou seja, transformar a vida das pessoas pela educação. Isso é o que hoje fortalece a nossa visão”.
A Rede Doctum oferece desde a educação básica ao ensino superior, possuindo unidades próprias e polos parceiros em Minas Gerais e no Espírito Santo.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo