fbpx
CaratingaMinas GeraisPolíticaRegião

Moradores de Cordeiro de Minas reclamam de abandono pela prefeitura

Na terça-feira,11, atendendo a vários pedidos, a reportagem do jornal A Semana compareceu ao distrito de Cordeiro de Minas, quando os moradores locais apresentaram diversos problemas enfrentados por eles, reclamando da falta de apoio de lideranças políticas e denunciando abandono por parte da Prefeitura de Caratinga.

A reportagem foi recebida por uma comissão de moradores liderada por Vera Lúcia Gomes, mais conhecida como Vera do São Cândido, Tereza Guimarães, que reside no distrito a mais de 60 anos, Cristiane Silva, Maria do Carmo Ferreira, João Soares e Leandro Medeiros. Além deles, outros moradores fizeram questão de também apresentarem suas reclamações e reivindicações.

Durante a visita ao distrito, os moradores se mostraram indignados e reclamaram do abandono e descaso da administração do prefeito Dr. Welington e dos líderes políticos daquela localidade, relatando várias deficiências e necessidades da população nas áreas de saúde, lazer, obras e, principalmente, na segurança pública.

Ruas asfaltadas durante o período eleitoral de 2020 já mostram sinais de deterioração

Segurança
De acordo com os moradores, há muito tempo o distrito encontra-se sem um posto policial. Conforme eles declararam, há alguns anos, o posto policial que havia no distrito foi desativado para dar lugar a uma creche. Porém, as obras de construção da creche não foram concluídas e encontram-se paralisadas há muito tempo.

Foto mostra que antes da demolição existia um posto policial e uma praça no distrito

Como os moradores informam, o patrulhamento policial em Cordeiro de Minas é realizado de forma esporádica, criando uma sensação de insegurança à população local.

Para piorar a situação, com a execução das obras, foi retirada uma pequena praça que existia no local, que era o único lugar de lazer da população. Com isso, o distrito ficou sem a praça, sem a creche e sem o posto policial.

Saúde
Outro setor que gera muitas reclamações é o atendimento à saúde. Segundo esclarecem os moradores, anteriormente, a equipe médica atendia a população na Unidade de Saúde do distrito em quatro dias da semana, mas, atualmente isso só acontece em dois dias.

A comunidade também não conta mais com a ambulância que transportava pacientes para Ipatinga, Caratinga e outras cidades para atendimento médico. Nos casos de necessidade nos atendimentos de urgência, os pacientes se veem obrigados a esperar por várias horas, pois, somente após a solicitação de algum líder político local é conseguida junto à Secretaria de Saúde o envio de um veículo para o transporte dos pacientes.

Muitas vezes, diante da situação do paciente, para tentar evitar que o atraso no transporte agrave seu quadro clínico, seus familiares são obrigados a alugar veículo para o transporte do enfermo.

Além disso, remédios, exames e, até mesmo, materiais para curativos sempre estão em falta na Unidade de Saúde, como declaram os moradores. No entendimento deles, para piorar a situação, existe a disputa política no distrito que atrapalha ainda mais a vida de quem precisa de atendimento médico de urgência.

Cemitério
Outra carência reclamada pela população é o acesso ao cemitério local em dias de funeral. Quando os sepultamentos ocorrem em dias de chuva, torna-se praticamente impossível percorrer as centenas de metros que dão acesso ao cemitério, pelo fato de não existir calçamento e a estrada ser coberta de mato e valetas que impedem a subida de veículos, fazendo com que o caixão seja carregado a pé.

Acesso ao cemitério está coberto de mato e valetas por todo o seu trajeto

Estrada
Os moradores que conversaram com a reportagem reclamaram, ainda, das precárias condições da estrada que dá acesso ao distrito, em decorrência da falta de serviço de manutenção, prejudicando o tráfego de veículos, principalmente, durante o período chuvoso.

Apelo
Os moradores fazem um apelo para que Dr. Welington visite o distrito e marque uma reunião para que sejam analisados os problemas enfrentados pela comunidade e sejam definidas as medidas necessárias para atender às reivindicações dos moradores.

Foto atual mostra local com obra da creche inacabada onde existia uma praça e o posto policial

Fazem um apelo também para que seja dada atenção aos jovens do distrito, que não contam sequer com uma praça, um ginásio poliesportivo ou um local adequado para atividade de lazer, deixando-os à mercê de drogas e outras e atitudes ilícitas.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo