fbpx
BrasilCaratingaMinas GeraisPolíticaRegião

Confirmado: Carraro é candidato a deputado federal

No dia 31 de julho, nas dependências da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em Belo Horizonte, aconteceu a convenção do PSB, quando foram definidos os candidatos do partido a deputado estadual e deputado federal nas eleições deste ano. No evento foi homologada a candidatura a deputado federal do diretor licenciado do jornal A Semana, Carlos Carraro, que já está registrada na Justiça Eleitoral.

Falando ao jornal, Carraro esclareceu que, como já vinha declarando aos órgãos de imprensa local, ainda como pré-candidato, a sua candidatura tem o propósito de, além de defender projetos e propostas voltados ao desenvolvimento socioeconômico de Caratinga e dos demais municípios da região, fazer um contraponto e também um protesto contra o descaso com que os deputados federais votados na região há várias eleições têm tratado o município, limitando-se a fazer falsas promessa e a trazer pequenas verbas, verdadeiras migalhas.

Debate
Ele ressalta a sua indignação com esses deputados, lançando um desafio a eles. “Eu desafio aos atuais deputados votados em Caratinga a um debate sério sobre suas atuações, em diferentes áreas, em benefício dos municípios da região”.

Com o Misael Varela, Carraro propõe um debate na área de Saúde. “Seria importante que ele mostrasse os benefícios que trouxe para Caratinga na Saúde e explicasse porque não trouxe a prometida unidade de triagem para pacientes com câncer, lembrando que ele nunca usou seu mandato para promover uma discussão séria sobre o setor de saúde em nossa região”.

Ao citar o deputado Hercílio Coelho Diniz, Carraro o questiona pelo fato de, mesmo sendo um empresário de sucesso, nunca ter se dignado a promover um encontro voltado a debater e discutir programas e projetos voltados ao desenvolvimento econômico de Caratinga, onde tem dois supermercados que lhe dão excelente lucro. “Ele tem sido uma grande decepção como deputado, tendo Caratinga apenas como uma cidade onde ele busca votos em troca de migalhas e verbas inexpressivas”.

Carraro foi duro ao mostrar sua indignação com os deputados Mauro Lopes, Eros Biondini e Leonardo Monteiro. “Quero fazer um debate com esses três deputados, cara-a-cara, para discutir a inexplicável não inclusão de Caratinga na área da Sudene, o que representa enormes prejuízos para produtores rurais, estudantes, empresários e para possíveis novos empreendedores, tanto na área fiscal quanto na aprovação de projetos e investimentos que gerariam renda ao município e oferta de empregos para a nossa juventude. Eu aceito discutir com eles onde e quando eles quiserem!”.

Carraro insiste na atuação dos três deputados na questão da Sudene. “Como caratinguense que sou, em me sinto ofendido com as desculpas esfarrapadas apresentadas por eles. A traição cometida por Mauro Lopes é clara e injustificável. Ele foi o primeiro relator do projeto e seu primeiro gesto deveria ser a inclusão de Caratinga na relação dos municípios a serem incluídos na área da Sudene, mas, nos 10 anos em que o projeto tramitou na Câmara dos Deputados ele jamais se lembrou do nosso município. E ele não tem a coragem de admitir seu erro, preferindo usar de mentiras para continuar a enganar os eleitores de nossa cidade, como faz há décadas”.

Ele não abaixa o tom com Leonardo Monteiro. “Ele teve a cara de pau de dizer à imprensa local que Caratinga ficou de fora da Sudene por um erro de digitação de seu assessor. O engraçado é que ele se esqueceu de incluir um município com mais de 95 mil habitantes e lembrou de incluir à caneta, na última hora Malacacheta, com menos de 19 mil moradores, onde ele obteve apenas 30 votos na eleição passada”.

Carlos Carraro enfatiza que sua candidatura é uma forma de protesto contra o descaso com que esses e outros deputados tratam a população de Caratinga e dos demais municípios da região e cita bandeiras defendidas por ele nos últimos 36 anos através das páginas do seu jornal e mais recentemente pelo programa “Hora Du Carraro” e do canal no Youtube “Fala Carraro”, bandeiras que ele se propõe a defender e lutar caso seja eleito.

Após cada período eleitoral, ele sempre propôs a realização de uma audiência pública promovida pelos deputados mais votados em Caratinga para discutir e elaborar um amplo plano voltado ao desenvolvimento socioeconômico do município e, consequentemente, da região que, como ele destaca, é a segunda mais pobre de Minas. “Eleição a eleição, esta proposta foi simplesmente desprezada pelos deputados federais que preferiram continuar tratando Caratinga como uma cidadezinha inexpressiva”.

Turismo
A exploração do turismo foi outra iniciativa sempre levantada por Carraro que chegou, por iniciativa própria, a investir no turismo de eventos, com a a criação e realização do “Maió e Mió São João de Minas”, de 2003 a 2008, ano em que mais de 49% dos participantes eram de outras cidades e até de outros estados. “O turismo é uma inesgotável fonte de renda e Caratinga tem potencial para a exploração também do turismo religioso, do turismo de aventura, do ecoturismo, do turismo rural e do turismo de lazer, o que geraria renda e um grande número de ofertas de empregos”.

Ele ressalta, ainda, sua proposta de criação do “Mundo Mágico do Menino Maluquinho”, um parque temático para visitação pública, enfocando a vida e a obra de Ziraldo. “Chegamos a elaborar um anteprojeto, promover uma reunião sobre como o local seria administrado e conseguimos a autorização de Ziraldo para implantar o projeto. Porém, o projeto não prosperou por falta de apoio dos deputados e dos prefeitos do município, Mais uma vez, Caratinga foi vítima do descaso e desprezo desses políticos!”.

Saúde
Ao fim da conversa, ele falou sobre o credenciamento do Hospital Irmã Denise ao SUS. “Eu usei o prestígio e amizade que tenho com Adalclever Lopes, na época presidente da Assembleia Legislativa para que o projeto de credenciamento fosse aprovado. Fizemos várias viagens a Belo Horizonte junto aos diretores do Unec com esse objetivo, que felizmente se concretizou. Na época, adversários políticos chegaram a divulgar que eu estava querendo fechar o Hospital Nossa Senhora Auxiliadora. Mas, imaginem quantas vidas foram salvas pelo Hospital Irmã Denise durante a pandemia do Covid, se ele não estivesse credenciado ao SUS, disponibilizando mais de 100 leitos exclusivos para pacientes de Covid?… Falam que eu sou doido!… Realmente, eu sou doido por Caratinga!”.

No dia 31 de julho, nas dependências da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em Belo Horizonte, aconteceu a convenção do PSB, quando foram definidos os candidatos do partido a deputado estadual e deputado federal nas eleições deste ano. No evento foi homologada a candidatura a deputado federal do diretor licenciado do jornal A Semana, Carlos Carraro, que já está registrada na Justiça Eleitoral.

Falando ao jornal, Carraro esclareceu que, como já vinha declarando aos órgãos de imprensa local, ainda como pré-candidato, a sua candidatura tem o propósito de, além de defender projetos e propostas voltados ao desenvolvimento socioeconômico de Caratinga e dos demais municípios da região, fazer um contraponto e também um protesto contra o descaso com que os deputados federais votados na região há várias eleições têm tratado o município, limitando-se a fazer falsas promessa e a trazer pequenas verbas, verdadeiras migalhas.

Debate
Ele ressalta a sua indignação com esses deputados, lançando um desafio a eles. “Eu desafio aos atuais deputados votados em Caratinga a um debate sério sobre suas atuações, em diferentes áreas, em benefício dos municípios da região”.

Com o Misael Varela, Carraro propõe um debate na área de Saúde. “Seria importante que ele mostrasse os benefícios que trouxe para Caratinga na Saúde e explicasse porque não trouxe a prometida unidade de triagem para pacientes com câncer, lembrando que ele nunca usou seu mandato para promover uma discussão séria sobre o setor de saúde em nossa região”.

Ao citar o deputado Hercílio Coelho Diniz, Carraro o questiona pelo fato de, mesmo sendo um empresário de sucesso, nunca ter se dignado a promover um encontro voltado a debater e discutir programas e projetos voltados ao desenvolvimento econômico de Caratinga, onde tem dois supermercados que lhe dão excelente lucro. “Ele tem sido uma grande decepção como deputado, tendo Caratinga apenas como uma cidade onde ele busca votos em troca de migalhas e verbas inexpressivas”.

Carraro foi duro ao mostrar sua indignação com os deputados Mauro Lopes, Eros Biondini e Leonardo Monteiro. “Quero fazer um debate com esses três deputados, cara-a-cara, para discutir a inexplicável não inclusão de Caratinga na área da Sudene, o que representa enormes prejuízos para produtores rurais, estudantes, empresários e para possíveis novos empreendedores, tanto na área fiscal quanto na aprovação de projetos e investimentos que gerariam renda ao município e oferta de empregos para a nossa juventude. Eu aceito discutir com eles onde e quando eles quiserem!”.

Carraro insiste na atuação dos três deputados na questão da Sudene. “Como caratinguense que sou, em me sinto ofendido com as desculpas esfarrapadas apresentadas por eles. A traição cometida por Mauro Lopes é clara e injustificável. Ele foi o primeiro relator do projeto e seu primeiro gesto deveria ser a inclusão de Caratinga na relação dos municípios a serem incluídos na área da Sudene, mas, nos 10 anos em que o projeto tramitou na Câmara dos Deputados ele jamais se lembrou do nosso município. E ele não tem a coragem de admitir seu erro, preferindo usar de mentiras para continuar a enganar os eleitores de nossa cidade, como faz há décadas”.

Ele não abaixa o tom com Leonardo Monteiro. “Ele teve a cara de pau de dizer à imprensa local que Caratinga ficou de fora da Sudene por um erro de digitação de seu assessor. O engraçado é que ele se esqueceu de incluir um município com mais de 95 mil habitantes e lembrou de incluir à caneta, na última hora Malacacheta, com menos de 19 mil moradores, onde ele obteve apenas 30 votos na eleição passada”.

Carlos Carraro enfatiza que sua candidatura é uma forma de protesto contra o descaso com que esses e outros deputados tratam a população de Caratinga e dos demais municípios da região e cita bandeiras defendidas por ele nos últimos 36 anos através das páginas do seu jornal e mais recentemente pelo programa “Hora Du Carraro” e do canal no Youtube “Fala Carraro”, bandeiras que ele se propõe a defender e lutar caso seja eleito.

Após cada período eleitoral, ele sempre propôs a realização de uma audiência pública promovida pelos deputados mais votados em Caratinga para discutir e elaborar um amplo plano voltado ao desenvolvimento socioeconômico do município e, consequentemente, da região que, como ele destaca, é a segunda mais pobre de Minas. “Eleição a eleição, esta proposta foi simplesmente desprezada pelos deputados federais que preferiram continuar tratando Caratinga como uma cidadezinha inexpressiva”.

Turismo
A exploração do turismo foi outra iniciativa sempre levantada por Carraro que chegou, por iniciativa própria, a investir no turismo de eventos, com a a criação e realização do “Maió e Mió São João de Minas”, de 2003 a 2008, ano em que mais de 49% dos participantes eram de outras cidades e até de outros estados. “O turismo é uma inesgotável fonte de renda e Caratinga tem potencial para a exploração também do turismo religioso, do turismo de aventura, do ecoturismo, do turismo rural e do turismo de lazer, o que geraria renda e um grande número de ofertas de empregos”.

Maió e Mió foi um dos maiores eventos já realizados em Caratinga e região

Ele ressalta, ainda, sua proposta de criação do “Mundo Mágico do Menino Maluquinho”, um parque temático para visitação pública, enfocando a vida e a obra de Ziraldo. “Chegamos a elaborar um anteprojeto, promover uma reunião sobre como o local seria administrado e conseguimos a autorização de Ziraldo para implantar o projeto. Porém, o projeto não prosperou por falta de apoio dos deputados e dos prefeitos do município, Mais uma vez, Caratinga foi vítima do descaso e desprezo desses políticos!”.

Saúde
Ao fim da conversa, ele falou sobre o credenciamento do Hospital Irmã Denise ao SUS. “Eu usei o prestígio e amizade que tenho com Adalclever Lopes, na época presidente da Assembleia Legislativa para que o projeto de credenciamento fosse aprovado. Fizemos várias viagens a Belo Horizonte junto aos diretores do Unec com esse objetivo, que felizmente se concretizou. Na época, adversários políticos chegaram a divulgar que eu estava querendo fechar o Hospital Nossa Senhora Auxiliadora. Mas, imaginem quantas vidas foram salvas pelo Hospital Irmã Denise durante a pandemia do Covid, se ele não estivesse credenciado ao SUS, disponibilizando mais de 100 leitos exclusivos para pacientes de Covid?… Falam que eu sou doido!… Realmente, eu sou doido por Caratinga!”.

Reuniões com os deputados Sávio Souza Cruz e Adalclever foram determinantes para o credenciamento do Casu ao SUS


Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo