fbpx
CaratingaEducaçãoMinas Gerais

Alunos da Escola Líber se destacam em olimpíadas do conhecimento

Com incentivo da direção e dos professores da Escola Líber de Caratinga, alunos da instituição estão alcançando muito bons resultados na participação em diversas olimpíadas do conhecimento, comprovando a qualidade do ensino oferecido pelo educandário.

A lista de provas, olimpíadas e competições que contam com a participação dos alunos da Escola Líber vem aumentando. Eles já participaram da Purple Comet Math Meet, competição internacional de Matemática que reuniu mais de 2500 equipes de 50 países em 2020; Olimpíada Interna de Matemática da Rede Doctum e Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astrofísica. Além disso, muitos alunos já têm inscrição garantida na Olimpíada Brasileira de Matemática, de Geografia, de Ciências, de Química e de Física.

Como explica Monique Montenegro, coordenadora pedagógica da Rede de Ensino Doctum, faz parte do DNA da instituição participar desses eventos. “A Olimpíada Interna de Matemática seguiu os padrões de organização da OBMEP e teve um caráter preparatório para a 16ª edição da OBMEP. A participação nessas competições é muito importante para mostrar todo potencial dos alunos, mas também da escola e dos professores, que acompanham de perto esses momentos de preparação”.

A Escola Líber vem trabalhando nesse sentido. Os alunos estão se inscrevendo e participando de diversas competições escolares. A frase da sabedoria popular ‘mais que vencer, o importante é competir’, se mostra uma realidade aplicada na Líber como uma ferramenta para alcançar resultados ainda maiores, como informa a coordenadora pedagógica Vitória Irma Freitas. “Vemos o engajamento dos estudantes, falamos que ultrapassamos barreiras, pois antes a fala era, ‘será que eu consigo?’, ‘e se eu não tirar o 1º lugar?’. E o que vemos hoje não é sobre conquistar o primeiro lugar, estamos falando sobre participação, em troca de experiências entre os alunos. Nossos alunos são preparados diariamente não apenas nas Exatas, mas nas Ciências e nas Linguagens e se sentem seguros e apoiados para participarem dessas provas”.

Segundo ela, a participação em olimpíadas é uma consequência natural da aprendizagem. “Quantos de nós, adultos, somos traumatizados com as Ciências Exatas porque nós não aprendemos de uma maneira legal? E isso que nós, na Líber, buscamos mudar: todos vão aprender as habilidades e competências vinculadas àquele conteúdo. E através da competência desenvolvida na Matemática, o aluno utiliza no Português, na Física e em todas as situações necessárias. Nós trabalhamos de forma transdisciplinar. E isso que faz os alunos terem bons resultados”.

Recentemente, a Rede Doctum realizou a Olimpíada Interna de Matemática, contando com a participação de alunos de todas as unidades de Educação Básica da Rede, a partir do 6º ano até 3ª série do Ensino Médio, com as provas divididas em níveis: Nível I (6º e 7º ano), Nível II (8º e 9º ano) e Nível III (Ensino Médio). Alunos da Escola Líber conquistaram posição de destaque em todos os níveis: 1º lugar no Nível I, com Bruna Eduarda Rocha; 3º lugar no Nível II, com Yasmin Quiperro Moreira, e 3º lugar no Nível III, com Samira Freitas.

Bruna Eduarda fala sobre a participação na competição e a estratégia de estudo. “Eu fiquei muito animada, porque Matemática é uma das minhas matérias favoritas. Então, comecei a estudar a matéria que o professor já tinha passado e um pouco mais da apostila”.

Bruna Educarda Silva Rocha, Estudante Líber e 1º lugar na Olimpíada Interna de Matemática da Rede Doctum

Yasmin Quiperro, de 14 anos, confirmou o engajamento dos alunos para participar das competições e como a Escola Líber apoia essas decisões: “É importante ter esse comprometimento com os estudos. Na minha sala, quando a gente recebeu o convite para participar da Olimpíada, a Professora Adriana Sanglard falou sobre o quanto a experiência seria importante e que a gente deveria se inscrever, sem gerar pressão pelo pódio. E eu falo pela minha experiência porque eu gosto muito de Matemática, principalmente quando eu sei resolver a questão. E quando eu vi que fiquei em 3º lugar, eu nem acreditei, porque eu fiz pela experiência de aprendizado mesmo”.

Yasmin Quiperro Moreira, conquistou o 3º lugar no Nível II

Samira Freitas, de 17 anos, relatou sua experiência. “Eu venho estudando para o vestibular, Enem e também para fazer as provas da escola, mas, essas provas e competições sempre mudam pelo menos um pouco a vida da gente. Eu já tinha participado antes da OBMEP no 6º ano, e foi aí que comecei a ter interesse em estudar mais Matemática, entender a parte do raciocínio lógico. O estudo online não é muito fácil, mas o trabalho aqui na escola tem sido muito bom e a gente consegue entender as propostas e teorias, e, a gente fica muito feliz quando consegue entender e resolver uma questão, fica muito prazeroso”.

Samira Freitas ficou com o 3º lugar no Nível III

De acordo com Vitória Freitas, a Escola Líber aguarda a divulgação dos resultados das outras competições que os alunos já participaram, mas já afirma que, além do pódio, os objetivos do projeto pedagógico da escola estão sendo alcançados em todos os sentidos e vem transformando a visão dos alunos em relação aos estudos.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo