fbpx
CaratingaEducação

Alunos da Escola Líber plantam árvores na retomada das aulas presenciais

Depois de mais de um ano com as salas de aula vazias, a partir do dia 14 de junho, autorizadas pelas secretarias de Educação e de Saúde da Prefeitura de Caratinga, as escolas do município retomaram as aulas e atividades presenciais. Para marcar esse importante momento, a diretoria da Escola Líber, mantida pela Rede de Ensino Doctum, trouxe a ideia de promover, durante a primeira semana de aulas, a atividade de plantio de árvores, como símbolo da esperança e da vida.

A equipe da Escola Líber se empenhou para preparar o retorno das atividades presenciais, adaptando infraestrutura, espaços, equipe e práticas pedagógicas para atender aos protocolos de biossegurança, mantendo o cuidado com a saúde de todos. Além de todo esse cuidado, com a intenção de realizar um retorno marcante para todos, especialmente para os alunos, a equipe se desafiou a pensar em atividades que trouxessem reflexão e prática para a vida. E, neste propósito, surgiu a ideia de desenvolver a atividade de plantio de árvores com os alunos.
Com essa atividade, a Escola Líber buscou, também, promover junto aos alunos a reflexão sobre a proteção do meio ambiente e estimular o cuidado e o respeito pela natureza.

Ivana Coutinho Leitão, diretora e idealizadora da Escola Líber, falou sobre a intenção da instituição com essa ação. “Nosso intuito foi trazer para os alunos o sentimento de esperança do verbo esperançar, como diz Paulo Freire. ‘Não a esperança do verbo esperar. Esperançar é se levantar, esperançar é ir atrás, esperançar é construir, esperançar é não desistir! Esperançar é levar adiante, esperançar é juntar-se com outros para fazer de outro modo’. Assim, acreditamos que a escola é o espaço fundamental de construção do futuro. O futuro que se constrói na coletividade”.

De acordo com Ivana, nessa iniciativa de plantio de árvores, a Escola Líber contou com a parceria do Instituto Estadual de Florestas (IEF). “Aproveito para fazer um agradecimento público ao IEF que nos concedeu as mudas de árvores nativas da Mata Atlântica”.

Toda equipe ficou satisfeita com a atividade pedagógica. Os estudantes mostraram enorme engajamento e participação no plantio, se sentindo motivados a continuarem plantando mudas de ipê, ameixa amarela, pau-brasil e outras árvores nas casas, sítios e praças.


Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo