fbpx
Caratinga

174 anos de Caratinga.Será que dá para comemorar?

A história de Caratinga começou em 24 de junho de 1848, quando João Caetano do Nascimento, seguindo conselho do amigo Domingos Fernandes Lana, e ao lado de João da Cunha, João José e João Antônio de Oliveira, deu início ao povoamento das terras que se tornariam o município que hoje comemora 174 anos. Infelizmente, ao comemorar a importante data, o descaso de prefeitos e deputados votados aqui não permita vislumbrar um futuro marcado pelo desenvolvimento socioeconômico para a cidade.

Torna-se impossível aceitar como normais a omissão e a falta de compromisso com o desenvolvimento de Caratinga, apesar de seu enorme potencial em vários segmentos, demonstradas nas últimas décadas pelas autoridades políticas que administraram o município e as que aqui vêm buscar votos, retribuídos por mentiras, promessas vãs ou migalhas.

Potencial
Cortado pela rodovia federal de maior circulação de veículos do País, a BR-116, o município de Caratinga possui potencialidades para o desenvolvimento econômico ainda não explorado. Por mais incrível que possa parecer, isso também ocorre com o setor agropecuário, uma vocação natural do município devido à sua grande extensão territorial e aspectos climáticos favoráveis.

Com diferentes níveis de elevação, Caratinga possui uma extensão territorial de 1 258,479 km², exatamente o dobro do município de Manhuaçu, que é de 628,318 km². Apesar dessa enorme vantagem territorial, a exploração do setor agropecuário em Caratinga é muito inferior à do município vizinho.

Turismo
Uma pesquisa desenvolvida em 2005 por alunos do Turismo da Faculdades Integradas de Caratinga (FIC), atualmente extinto, mostrou o grande acervo turístico em diversos segmentos que o município possui, ainda não explorado ou realizado de forma precária e sem contar com apoio e incentivo da Prefeitura de Caratinga.

Se o poder público, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, desenvolvesse um amplo programa voltado a implantar de forma consistente a exploração do turismo, em seus diversos segmentos, seria possível realizar em Caratinga o turismo de eventos, o turismo de aventura, o turismo do lazer, o turismo ecológico, o turismo rural e o turismo religioso.

Além de ser sede de uma diocese e de ser sede regional da Igreja Assembleia de Deus, o município de Caratinga possui diversas lagoas e cachoeiras, ainda mal exploradas e não dotadas de estrutura para o receptivo, e a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Feliciano Miguel Abdala, santuário ambiental onde se encontra o maior contingente do Muriqui, maior primata das Américas, que recebe pesquisadores do mundo todo, mas, ainda é totalmente desconhecida da esmagadora população local.

Ziraldo
Outra proposta apresentada por Carlos Carraro, também voltada ao turismo e exposta durante o segundo mandato do ex-prefeito Ernani Campos Porto (2005-2008) foi a da criação do “Mundo Mágico do Menino Maluquinho”, parque temático em torno da vida e da obra de Ziraldo Alves Pinto, até então, o maior escritor de livros voltados ao público infantil do mundo, superando o também brasileiro Monteiro Lobato.

Foi elaborado um projeto, contando com um esboço e todos os detalhes de como o local funcionaria, incluindo-se propostas de obtenção de recursos do Estado e do Governo Federal, que recebeu imediata aprovação de Ziraldo.
Na ocasião, chegou a ser promovido um encontro, dirigido por um especialista, amigo pessoal de Ziraldo, quando se chegou à conclusão que o “Mundo do Menino Maluquinho” seria administrado por uma fundação, a ser presidida por Ziralzi, irmão de Ziraldo. Porém, o projeto, que inicialmente precisaria de apoio financeiro do governo municipal, não saiu da gaveta do prefeito.

Nas gestões que sucederam à de Ernani, os ex-prefeitos João Bosco Pessine e Marco Antônio Junqueira, assim como o atual prefeito, Dr. Welington, chegaram a anunciar que estariam “ressuscitando” o projeto, mas, tudo não passou de promessas não cumpridas e, assim, o projeto que geraria empregos e fomentaria a economia local, trazendo visitantes de todas as regiões do Brasil e inclusive do Exterior acabou sepultado.

Festas e eventos
No passado, Caratinga era conhecida como uma cidade festeira, promovendo diversos eventos que atraiam centenas de turistas para a cidade. Foi assim com a realização de exposições agropecuárias, festivais de música, Encontros do Caratinguense Ausente, Carnaval e shows, tendo como seu ponto mais alto o “Maió e Mió São João de Minas”, realizado na primeira década de 2000.

Maió & Mió
Idealizado e promovido em suas primeiras cinco edições pelo diretor de A Semana, Carlos Roberto Carraro, o “Maió & Mió”, como passou a ser chamado, trouxe a Caratinga cantores, duplas e bandas do mais alto nível, tanto no Brasil quanto no exterior, trazendo para a cidade milhares de pessoas de várias regiões de Minas e de outros estados do País. Em 2008, uma pesquisa realizada pela Faculdade de Turismo, durante o evento daquele ano, quando foi registrado público de quase 20 mil pessoas em uma das noites, constatou que o número de participantes de outras cidades superava 49%.

Evento trouxe público de várias regiões do Brasil

A realização da festa gerou emprego temporário para seguranças, contratados, barraqueiros e funcionários da praça de alimentação, além de ampliar os serviços dos taxistas, aumentar a venda do comércio local – lojas de calçados, roupas e adereços, restaurantes, bares e lanchonetes -elevar a demanda dos postos de abastecimento de combustíveis e esgotar as vagas dos hotéis.

Sudene
O mais recente caso de omissão e descaso para com a população de Caratinga teve como protagonistas os deputados federais mais votados em Caratinga nas eleições de 2014: Mauro Lopes, Misael Varella, Leonardo Monteiro e Eros Biondini.

Deputado Eros Biondini e Mauro Lopes foram os maiores responsáveis pela não inclusão de Caratinga na Sudene

Os quatro simplesmente se “esqueceram” de incluir o nome de Caratinga na lista dos municípios que foram inseridos à área de abrangência da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), em projeto de lei aprovado pela Câmara dos Deputados ao final de 2017. É preciso lembrar que Mauro Lopes foi o relator do projeto no início de sua tramitação e que Eros Biondini o relatou durante sua votação e aprovação.

Como já divulgado pelo jornal A Semana, a omissão desses deputados trará enormes prejuízos a Caratinga, não possibilitando benefícios fiscais e aprovação de vantajosos pedidos de empréstimos e investimentos a produtores rurais, empresários e estudantes universitários residentes ou instalados no município.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo